terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Sala de Corte - Um restaurante para amantes de carne

Do exterior apenas se vê os toldos em tom de vermelho escuro, uma entrada discreta e um balcão exterior cuja janela interior permite servir aqueles que gostam de uma refeição rápida, mas não dispensam a qualidade. Contudo, no número 28 da Rua da Ribeira Nova há muito mais do que aquilo que se vê de fora, e, acreditem, vale bem a pena entrar, sentir as luzes e o ambiente caloroso que nos chama para uma refeição calma e saborosa e conhecer esta Sala de Corte. 


Lá dentro é impossível ficarmos indiferentes. As mármores na parede devidamente restauradas, tal como as abóbodas abatidas de arestas, ainda deixam vislumbrar os traços pombalinos. O chão em cor de carne, homenageando o "prato" da casa, prato esse que pode logo ser vislumbrado, nos seus mais distintos cortes, assim que entramos pela discreta porta. À esquerda algumas mesas que sentam 18 pessoas, à direita um balcão que senta outras 10 em cadeiras altas e que serve de palco a toda a confeção da arte que é preparar um bom naco de carne. O ambiente é descontraído mas intimista e o serviço informal mas rigoroso, tudo para garantir uma experiência gastronómica autêntica e e qualidade. A Sala de Corte é a primeira steakhouse especializada em carne grelhada com um método de confeção único, feito exclusivamente num "Josper", que combina o carvão 100% vegetal e as altas temperaturas de um forno com as técnicas de restauração mais atuais, permitindo obter resultados precisos e únicos, como a caramelização perfeita da carne e a conservação de todos os seus sucos, texturas e sabor tradicionais da brasa. Liderada pelo Chef Luis Gaspar, a jovem equipa de cozinheiros e pasteleiros cozinha cada corte e cada sobremesa com a máxima mestria e cuidado na apresentação. 


Ali não se servem fatias ou pedaços de carne, todos os cortes são bastante generosos a nível de dose, vêm devidamente bem fatiados em leves tiras diagonais e sempre com um dos sete molhos à escolha. Difícil mesmo será escolher. Mas vamos com calma, antes de mais são seis as opções de entradas para irmos picando algo antes do belo naco de carne nos chegar à tábua de corte. Destacamos o Carpaccio de Lombo de Novilho com Azeite de Trufa, Pistachios Torrados, Salada de Rúcula e Parmesão (12€), os Croquetes de Novilho com Mostarde Dijon (4,8€ três unidades) e o Presunto 100% Ibérico de Bellota 5J sobre um Flat Bread de Azeite (14€). Partimos então para os cortes. A carne é toda ela de novilho e vem sempre acompanhada por tomates cherry assados e um relish de tomate fumado. Podemos escolher entre Picanha, Vazia, Entrecôte e Lombo, sempre em porções de 200g cada (11,5€; 13,5€; 14,5€ e 19€ respectivamente); caso tenhamos um pouco mais de apetite, o Chateaubriand de 300g (29€) é o corte ideal. Se formos acompanhados, a escolha terá de cair pelo Chuletón de Buey, 750g do melhor corte possível (32€). Todos eles bem regados pelas diversas opções de vinho a copo, ou à garrafa que o sommelier Rodolfo Tristão colocou à disposição na carta. No que diz respeito aos acompanhamentos temos 7 opções para todos os gostos, que vão desde as batatas fritas (2,5€), aos legumes grelhados com azeite de alho e tomilho (3,5€), sem esquecer a salada de endívias com roquefort e nozes (3,5€), ou o decadente dauphinoise de batata doce (2,5€). Para quem preferir apenas algo mais leve, ou um prato mais simples, também há pregos da Vazia, de Picanha, de Entrecôte e do Lombo, sempre servidos em bolo do caco, levemente torrado e barrado com maionese de mostarda de Dijon e servidos com batatas fritas. Como não há refeição que termine sem uma sobremesa, os destaques vão para a Pavlova de frutos vermelhos com sorvete de framboesa e para o "falso crumble" de caramelo, chocolate e amendoim (4€ a unidade). Puras overdoses de açúcar, mas que valem cada garfada.


Com a concorrência forte da zona do Cais do Sodré, a Sala de Corte é sem dúvida um espaço de eleição. Aberto todos os dias ao almoço e ao jantar, de segunda à sexta com o horário das 12h às 15h e das 19h às 24h; aos fins-de-semana abrem continuamente das 12h às 24h. Não fazem reserva, por isso o ideal é ir cedo e pedir um lugar ao balcão. Se eventualmente virem algum cliente a entrar para a arca frigorífica, não se assustem, é apenas alguém que foi ao WC. 

Sem comentários:

Enviar um comentário