quinta-feira, 2 de abril de 2015

LisbonWeek e EDP revelam segredos do LNEC

Assumindo-se, uma vez mais, como plataforma multidisciplinar onde se encontram diversas áreas do conhecimento e da cultura o LisbonWeek, em parceria com a EDP, apresenta no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) a exposição “Engenharia Para a Sociedade”, que irá mostrar ao grande público modelos reduzidos de estruturas e instalações experimentais utilizados para a garantia da segurança de engenharia. Nesta mostra, irão poder ser vistos modelos de barragens como a de Caniçada, a funcionar desde 1954, ou a do Varosa, que existe desde 1977. Para além destes exemplos, em solo nacional, o LNEC vai expor modelos das barragens de Aldeadávila e Atazar (Espanha), Cahora Bassa (Moçambique), Cambambe (Angola), Salto do Funil (Brasil) e Morrow Point (Estados Unidos da América).


Mas esta exposição não trata apenas de barragens. Daí também o seu nome - “Engenharia Para a Sociedade”. Por isso, poderão também ser vistos a réplica de uma plataforma sísmica, o Modelo da Ponte 25 de Abril, o Modelo do tabuleiro da Ponte 25 de Abril (ensaio aerodinâmico), o Modelo de um estádio de futebol na Argélia, e um Modelo hidráulico de barragem num tanque em acrílico que permite ver o circuito interno da água.

É das funções do LNEC desenvolver “actividades de investigação nos domínios das obras públicas, da habitação e urbanismo, do ambiente, dos recursos hídricos, dos estuários, da orla costeira, dos transportes e vias de comunicação, da indústria dos materiais, dos componentes e outros produtos para a construção, visando contribuir para o aproveitamento dos recursos naturais numa lógica de desenvolvimento sustentável, a minimização dos riscos naturais e tecnológicos, a modernização e a inovação tecnológicas no sector da construção, a proteção e reabilitação do património natural e construído”. E são estes objectivos que o tornam particularmente próximo da EDP, na sua busca constante por uma energia sustentável. 

Porque enquanto não se inventar uma equação matemática que permita excluir os “testes preliminares” (leia-se, construção de moldes que simulem situações reais) a cada nova invenção que envolva um dos quarto elementos, como a água, será sempre fascinante (tentar) perceber como é que uma nova ideia pode, ou não, funcionar. É também para isso que serve esta exposição, patente no átrio principal e na galeria do LNEC – mais um magnífico edifício desenhado por Porfírio Pardal Monteiro - de Segunda a Sexta das 09h às 19h e aos fins-de-semana das 14h às 19h.

Sem comentários:

Enviar um comentário