segunda-feira, 28 de abril de 2014

Muito barulho por nada

Finalmente, esgotados os recursos judiciais, houve acesso ao relatório sobre contratação de obras públicas pela Câmara Municipal de Lisboa (CML).

Como escreve, no Público, José António Cerejo não houve "uma bomba", apenas a confirmação de notícias anteriores. Foram adoptadas algumas das alterações propostas, falta saber quais e quando, sem grandes sobressaltos, tirando a saída de um director camarário e a mudança de departamento de outra.

Posto isto, porquê este cavalo de batalha por algo que é elementar, numa democracia saudável, a transparência? Não haveria melhor uso a dar aos recursos públicos, nomeadamente ao Departamento Jurídico da CML e eventuais causídicos externos?

Em Itália, Renzi quer dar o exemplo, por cá transparência e prestação de contas, parecem continuar a ser floreados bonitos no discurso político...



Sem comentários:

Enviar um comentário