segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Feira Popular

Depois do Natal ter chegado mais cedo à Venezuela pelas mãos de Maduro...Parece que o Natal lá vai aparecer mais cedo em Lisboa, por ordem de alguém, através da abertura da Feira Popular durante este rico mesinho...

A Feira Popular é um tema que já deu pano para mangas, mas é engraçado que, ao fim de tanto tempo, ainda continue a ser tratado como se fosse aquele rebuçado a mais, que comemos em criança e que nos dá a sensação de que o Mundo vai cair, e logo a começar pelos nossos dentes!! Não comas tantos rebuçados, que estragas os dentes, dizia-nos a Mãezinha...

A Feira Popular é algo que até todos podemos ter, mas em doses comedidas... Não tivesse sido, aliás, a vida de Pinóquio complicada, por causa de umas voltas a mais no carrossel... 

Mas não obstante tudo isto e a forma, por vezes estranha, como o assunto é tratado, a verdade é que Lisboa perde, e os Lisboetas também ficam a perder, se durante onze meses só tivermos um descampado em pleno centro da cidade.

Percebemos que o Presidente da Câmara não queira ser o segundo Pinóquio, nem queira deixar a cidade na bancarrota em que o outro Pinóquio deixou o País... Mas se não exagerar no carrossel, pode o Presidente ficar descansado. E pode abrir a Feira, senhor Presidente, que os Lisboetas também não vão exagerar no carrossel. A vida não está para muitas voltas!!! 

Sem comentários:

Enviar um comentário