quarta-feira, 9 de outubro de 2013

O paradoxo na limpeza em Lisboa

No dia 27 de Setembro de 2013, o jornal Expresso no seu primeiro caderno, página 33, publicou uma opinião de Henrique Raposo, com o título sugestivo de “O cobarde do cocó”. Este descreve com exactidão o paradoxo entre os excessos de algumas leis para a higienização (ex.: ASAE) e o laxismo nos comportamentos e civismo de alguns concidadãos (com a complacência das autoridades), face aos dejectos dos nossos animais.

Comummente reconhecido pelos candidatos às eleições para a Câmara de Lisboa o muito que se deve fazer para melhorar a limpeza da cidade, cabe agora ao Dr. António Costa actuar e corresponder aos desejos dos seus munícipes, visitantes e turistas.

A bem da nossa cidade e da nossa saúde!

2 comentários:

  1. Excelente entrada caro Bruno.

    De facto, a limpeza é um dos males que a nossa cidade padece.

    É preciso mais rigor e mais esforço. Lisboa merece uma cidade à sua imagem.

    ResponderEliminar
  2. Não diria a limpeza, mas antes a sujidade provocada por pessoas sem civismo.

    ResponderEliminar