terça-feira, 22 de outubro de 2013

EPAL encontra medicamentos e cafeína na água de Lisboa

 
 
 
A EPAL encontrou medicamentos, como antibióticos e anti-inflamatórios, e cafeína na água que abastece Lisboa. As quantidades são residuais e estão longe de constituir um perigo para a saúde. Mas a empresa começou a testar regularmente as nove substâncias detectadas. O objectivo é controlar o efeito que os químicos que consumimos podem ter na nossa saúde quando vão parar à água que bebemos...
Mesmo que o problema não pareça grave, a EPAL leva sempre a sério os sinais de alerta. “Quando recebemos uma queixa, através das linhas de apoio ao cliente accionamos sempre um procedimento de verificação”, garante Maria João Benoliel, que confessa ter de lidar, por vezes, com situações caricatas. “Já aconteceu ligarem a dizer que acham que estão a ser envenenados com arsénio, através da água da rede. E uma senhora uma vez ligou para cá a queixar-se de que a água sabia a mercúrio, seja lá o que for esse sabor”. Em todas as situações, a EPAL envia técnicos ao local para recolher amostras e testar a água. “No final, contactamos sempre os consumidores para lhes explicar os resultados das análises”.
In Sol

Sem comentários:

Enviar um comentário