quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Rubrica: Lisboa aos olhos de Ascenso Simões



Regressa a nossa rubrica. Hoje é Ascenso Simões quem partilha a sua visão sobre a nossa cidade de Lisboa. Um agradecimento ao nosso convidado pela disponibilidade em aceitar o desafio do Pensar Lisboa.

Pensar Lisboa -O que mais gosta na cidade de Lisboa?
Ascenso Simões - Já me perguntei imensas vezes sobre o que gosto mais em Lisboa. Não tenho resposta simples. Gosto dos barcos, que nos levam a outros séculos; gosto da quadrícula urbana que nos diz que ela é feita de muitas camadas; gosto das pessoas, quase todas, que nos afiançam que aqui se consegue, ainda, um encontro de culturas potenciador de criatividade e de futuros; e gosto do facto de quase ninguém se meter na vida dos outros, com uma condescendência idiossincrática única na europa.

Pensar Lisboa -O que menos gosta em Lisboa?
Ascenso Simões - Não gosto dos taxistas, não gosto dos empregados de mesa, não gosto dos assistentes de museus e bibliotecas. Todos estes têm um traço comum – o descuido e o “volume” excessivo.

Pensar Lisboa -O que mudava em Lisboa?
Ascenso Simões - Eu não mudava nada, melhorava, polia... Uma cidade não se quer amaninhada. Mais, multiplicava-a por aí, e tentava fazer seguir, em cidades médias do luso espaço, um registo das coisas bem-feitas, das coisas valiosas que ao longo dos tempos se fizeram nesta capital. A negação conferida da capital, pelo restante território, é o que de mais danoso se verificou no século XX para um equilíbrio genuíno e uma harmonia potenciadora entre regiões.

Pensar Lisboa -O que recomendaria a um turista em Lisboa?
Ascenso Simões - Que visse Lisboa dos pés à cabeça. Se atentarmos bem no que mostramos aos que nos visitam, constatamos que só indicamos o que fica bem na fotografia a 10 metros de distância, ou a metro e meio do chão. Lisboa, na sua silhueta, nos seus desequilíbrios urbanos, nas suas temporalidades que correspondem a subculturas e a práticas de vida, é, ainda, pouco dada a quem a visita. Quem nos visita vai achar imensa piada às varandas, aos beirais, aos telhados, aos pormenores arquitetónicos dessa Lisboa.

Pensar Lisboa -Com que cor identifica Lisboa?
Ascenso Simões - Lisboa identifica-se com quase todas as cores menos com o preto, a soma de todas as cores, apesar de ser “cor” da bandeira da cidade. E essa é uma vantagem quando comparada com as grandes capitais europeias. Em cada espaço poderemos encontrar uma cor e o conjunto de quase todas faz a cor da liberdade.

Pensar Lisboa -Numa palavra, Lisboa é...?
Ascenso Simões - Não pode ser só uma palavra – Lisboa é a mais interessante porta aberta para o mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário