quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O bizarro caso da discoteca "Le Pub" ou "BC club"

António Costa diz que os problemas dos moradores, causados pelo ruído dos estabelecimentos de diversão nocturna "são realidades, no limite, inconciliáveis" e difíceis de gerir e solucionar, mas frisou que, "no limite do conflito, a câmara tem de estar do lado do residente porque é quem não se pode deslocalizar".

Que o digam os moradores da 
Rua Ferreira Lapa, quase todos idosos, já com muitos anos de experiência a lidar com essas "realidades" (desde 1991...), com diversas queixas apresentadas à P.S.P., ao Governo Civil de Lisboa, à Direcção Geral de Espectáculos e do Direito de Autor, à Câmara Municipal de Lisboa e ao Provedor de Justiça.

E que o diga a gerência do Hotel instalado no mesmo prédio, onde frequentemente ficam alojados doentes oncológicos do Hospital de Santa Marta...

Quem terá licenciado este estabelecimento, instalado no mesmo prédio onde funciona um hotel, numa rua onde 75% dos moradores são idosos?


Depois deste calvário e face à absoluta inércia das autoridades, instauraram uma providência cautelar, que foi efectivamente decretada, « ordenando o encerramento do estabelecimento nocturno explorado pela Requerida denominado “Le Pub”, sito na Rua Ferreira Lapa, nº 38 D , em Lisboa, até que a Requerida garanta a presença de um agente da Polícia de Segurança Pública junto ao estabelecimento, todas as noites em que o mesmo esteja em funcionamento, de forma a impedir a causação de ruído. ».


Tudo muito bonito, mas o certo é que a discoteca lá continua, embora com outro nome... Agora, é o "BC Club Esmeralda".


DJ's, Música brasileira ao vivo e por aí fora. Só para as 7 da manhã é os moradores lá conseguem dormir... Qualidade de vida!

Recordando: «No limite do conflito, a câmara tem de estar do lado do residente porque é quem não se pode deslocalizar"...


Que bem que prega Frei Tomás... 

Sem comentários:

Enviar um comentário