terça-feira, 18 de junho de 2013

Rubrica: Lisboa aos olhos de Luís Osório




Lisboa tem estado mais cinzenta nestes dias. O tempo não ajuda, depois da diversão do Santo António. Mas hoje é dia de rubrica no sitio do costume. A Pensar Lisboa está Luís Osório, jornalista, habituado a perguntar, troca de papel e aceita o desafio de partilhar a sua visão sobre Lisboa. Um agradecimento ao nosso convidado.

Pensar Lisboa - O que mais gosta na cidade de Lisboa?
Luís Osório - Gosto do que não consigo explicar. Do que em mim é a alma e energia da cidade, do que me pertence sem ter uma definição feita de palavras. Amamos verdadeiramente quando sentimos que as palavras que definem a nossa relação (com uma pessoa ou uma cidade) não existem de maneira a ser compreendidas pelos outros. É um alfabeto próprio. Sim, é isso. Lisboa em mim tem um alfabeto próprio, é parte de mim. Definitivamente, o que gosto mais. Essa capacidade de entrar no coração das pessoas, como se tivesse uma vida que não se explica.

Pensar Lisboa - O que não gosta em Lisboa?
Luís Osório - Portugal é um país do mas, do talvez, do copo meio vazio. Raramente encontro pessoas que vão aos espectáculos e estão nas relações para gostar. Para gostar verdadeiramente, sem reticências.

Pensar Lisboa - O que mudava em Lisboa?
Luís Osório - Mudava muita coisa, como mudo em casa a posição da cama e as cómodas. Mas na essência não mudava nada. Não se tenta mudar o que realmente se ama.

Pensar Lisboa - O que recomendaria a um turista em Lisboa?
Luís Osório - A poesia do Tejo das colunas. O Chiado ao fim da tarde. Os caracóis e o fado de uma tasca de Alfama. As pensões do amor do Cais do Sodré e um final de noite no Lux com vista para uma “escultura” de Joana Vasconcelos. Mostrava-lhes o óbvio para perceber se conseguiam ver a partir daí tudo o que não o é.

Pensar Lisboa - Com que cor identifica Lisboa?
Luís Osório - Evidentemente, branca.

Pensar Lisboa - Numa palavra, Lisboa é...
Luís Osório - Alma.

3 comentários:

  1. É isto que nos encanta no Luís! Um sentir coerente nas palavras que dita ou escreve. Um amigo que queremos por perto! Uma sensibilidade única e forte para não se desviar do que sente, do que pensa, do que quer!
    Parabéns, parabéns, ...

    ResponderEliminar
  2. Parabéns Pensar Lisboa, por partilharem este grande homem que é o Luis.

    E dei um salto ao vosso espaço e pareceu-me fresco e livre. Fazem falta nesse registo.

    ResponderEliminar

  3. ´São as palavras que esperamos do Luis, o seu sentir a que nos habituámos.A Pessoa Especial que ele é e nos encanta.

    ResponderEliminar