sexta-feira, 10 de maio de 2013

Pensar Lisboa com o Grupo de Cidadãos "Parque das Nações, por nós"



E o Pensar Lisboa saiu de novo à rua. Na nossa missão de ouvir e aprender, fomos conhecer um grupo de cidadãos que tem como lema: Parque das Nações, por nós.
A receberem-nos estavam Paulo Andrade e Conceição Palha. O local, foi o Restaurante Adamastor, bem perto da Marina, em que se respirava o ar vindo directamente do Rio Tejo.

Com a nova alteração do mapa de freguesia da cidade de Lisboa, a criação da nova Junta de Freguesia do Parque das Nações, levou a que este grupo de pessoas se juntasse para criar um projecto comum.

Com orgulho falaram da inspiração do grupo no trabalho que a Associação de Moradores do Parque das Nações tem feito e da diversidade que é ter um conjunto de pessoas independentes, filiadas em partidos ou não, a trabalhar para as suas zonas de residência ou trabalho. Propostas dizem-nos, estão a ser ultimadas. Estão a fazer de baixo para cima, com a vontade de contribuir a crescer nos fregueses e com a promessa de que irão apresentar um Programa de Desenvolvimento e Progresso para a Freguesia.

O movimento terá o Dr. José Moreno como cabeça de lista e já se notam os primeiros cartazes no Parque das Nações. Com o site: www.parquedasnacoes.eu procuram dar a conhecer as suas propostas e ideias.

A palavra de ordem é “orgulho” na vitória de criar uma Junta de Freguesia do Parque das Nações e não a falada Junta Oriente. Sempre defenderam a inclusão da parte mais a norte, que estava afecta a Loures. Olham para este espaço como uma Freguesia Universal, que engloba 3 grandes áreas de residência: Norte, Sul e Laranjeiras. Este grupo procura apenas um trabalho na Junta e para a Junta.


Com o distanciamento que querem dos Partidos, explicaram ao Pensar Lisboa a história deste cantinho de Lisboa. O Parque das Nações não é só um espaço desde a Expo 98, nem da petroquímica da GALP. Tem história e apesar do orgulho e de quererem respeitar o legado da Expo 98, querem puxar pela história desta zona. Acreditam que era um ponto de entrada da cidade e que este espaço serviu de ponto de fuga a mais de 40 mil judeus no tempo da guerra. Avançaram por isso, e em primeira mão ao Pensar Lisboa, com a ideia de criar um Museu sobre a Freguesia.

A ligação entre realidades tão díspares com a ideia de existirem moradores de primeira e de segunda os que são da Expo e os que residem nos bairros sociais das Laranjeiras ou do Casal dos Machados, foi outro dos temas em conversa. Querem integrar e esbater a dicotomia existente entre estes dois espaços.

Olham para o Parque das Nações e não da Nação. É um espaço plural e que está aberto a todos. É por isso que querem manter o prestígio da zona e apoiar e fomentar maior integração das pessoas e instalação de mais empresas.

Outros dos temas foi a ligação ao Rio Tejo. Acreditam que o estuário espectacular que o Tejo proporciona a esta freguesia deveria deixar de ser apenas contemplado para ser passado a usufruir.

Querem fazer deste espaço, que recebe anualmente cerca de 20 milhões de pessoas e que terá à volta de 20 mil eleitores um espaço virado para as pessoas, em que os valores que apregoam assentam no humanismo, na proximidade, na transparência, da responsabilidade e felicidade.

Da parte do Pensar Lisboa fica o agradecimento pela partilha de ideias e de vontades. E fazemos votos de que através de uma participação activa possam ajudar a contribuir para uma melhoria da nossa cidade. Todos fazem falta!

5 comentários:

  1. Parabéns pelo trabalho que desenvolvem em prol dos lisboetas.

    Continuem.

    Saudações lisboetas

    ResponderEliminar
  2. Estes pensadores devem fazer comichão a muito boa gente da politica. Força rapazes e raparigas.

    ResponderEliminar
  3. O Grupo de Cidadãos, ao que se sabe, não resulta de uma candidatura da área do PSD pelo facto do Dr. José Moreno não ter sido escolhido para liderar a candidatura do PSD ao Parque das Nações? Quando não se consegue aceitar as decisões dos partidos nem os estatutos que os regem porque será que se seguem caminhos como este? Quando não se aceitam escolhas diferentes dentro de um Partido será justo defender que a "Democracia Merece Mais"?

    ResponderEliminar
  4. Precisamos de candidaturas como esta, cheias de pessoas daqui do parque, que já cá estão desde o inicio e conhecem bem as necessidades e problemas da freguesia. Obrigada José moreno por ter aceite o pedido de um grupo de residentes e comerciantes apartidarios para se candidatar.

    ResponderEliminar
  5. Com a aversão que existe contra os partidos, a vitória está no papo.
    Força, José Moreno e seus apoiantes!

    ResponderEliminar