segunda-feira, 4 de março de 2013

Requalificação da Alameda da Universidade

Divulga a Universidade de Lisboa no seu site o início, no dia 11 de Março, das obras de requalificação de Alameda da Universidade (freguesia de Alvalade), e consequente ocorrência de condicionamentos à circulação de tráfego automóvel. Está previsto que estes condicionamentos durem até ao mês de Maio, vigorando após estas obras as seguintes alterações:
“Diminuição do tráfego automóvel na Alameda, passando a uma única faixa de rodagem, e proibição do atravessamento na Alameda para quem não se desloca para a Universidade de Lisboa. O acesso ao Campo Grande, para quem se desloca da Avenida Lusíada e vice-versa, passará a ser feito pela Avenida das Forças Armadas e pela Segunda Circular.”
Esta requalificação inclui ainda

  • a criação de uma Praça Central na Alameda da Universidade, 
  • melhorias ao nível da mobilidade pedonal (algumas das quais derivarão naturalmente como consequência de a Alameda da Universidade, por passar a ser em calçada, perder o seu estatuto de facto de autoestrada urbana), 
  • a arborização da Alameda da Universidade, e 
  • a criação de uma esplanada junto à Faculdade de Direito.

Coincidentemente, este tema já tinha sido abordado na conversa do Pensar Lisboa com o candidato do PS à Junta de Freguesia de Alvalade, André Caldas. As alterações que se avizinham não realizam ainda o “sonho” (sic) de efectuar em túnel a ligação Avenida Lusíada–Avenida do Brasil, mas são decerto uma grande melhoria para a mobilidade e(m) segurança dos elementos da comunidade académica no campus da Universidade de Lisboa.

3 comentários:

  1. Esta é uma iniciativa de requalificação importante. A vantagem do enterramento do trânsito era manter uma via de circulação e atravessamento da cidade, da Avenida Lusíada à Avenida do Brasil (de preferência até ao Aeroporto), sem que os carros entrassem na cidade. Todavia, a solução é excessivamente dispendiosa. A presente solução tem a desvantagem de determinar, com elevada probabilidade, o congestinamento adicional da Avenida das Forças Armadas/Avenida dos EUA e a Segunda Circular.
    Tem a enorme desvantagem de melhorar a possibilidade aproveitamento do espaço público da Alameda da Universidade, que não pode tornar-se exclusivo dos estudantes, mas alargado a toda a população.
    Globalmente, é uma boa notícia.

    André Moz Caldas

    ResponderEliminar
  2. No comentário anterior, onde se lê: "Tem a enorme desvantagem de melhorar a possibilidade aproveitamento", deve ler-se "Tem a enorme vantagem de melhorar a possibilidade de aproveitamento".

    André Moz Caldas

    ResponderEliminar
  3. Mais uma medida bizarra e despesista, que inclui a criação de uma Praça Central na Alameda da Universidade, no lugar do actual parque de estacionamento da Reitoria, recentemente construído à custa dos nossos impostos. É o faz e desfaz do costume, a que António Costa nos habituou na gestão da "coisa pública". Só irá congestionar, ainda mais, a Av. das Forças Armadas. E dizer que a Segunda Circular é uma alternativa a quem vem da Av. Lusíada, para chegar ao Campo Grande, só pode ser uma provocação. Depois, gostaria de saber como é que se controla quem vai para a Universidade e quem não vai...

    ResponderEliminar