sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Sobre o Trânsito em dias de chuva! Um texto da autoria do nosso leitor Lourenço Côrte-Real!


Chove em Lisboa e instantaneamente o trânsito fica impraticável. Não só por haver um maior fluxo de trânsito, porque, claro está, as pessoas, comodamente, preferem trazer os seus carros, mas acima de tudo o trânsito fica caótico atenta a pavimentação das ruas de Lisboa. As ruas de Lisboa não são ruas com buracos. São um verdadeiro conjunto de buracos com asfalto à volta. Isso é, aliás, bem visível em dias de chuva: notando-se a areia que serviria de alicerce à estrada, sendo que, também por muitas vezes encontram-se sítios onde não passam eléctricos há anos, mas em que os trilhos estão na mesma instalados, muitas vezes sem paralelos a sustentá-los.

Assim, com base nessa realidade, é evidente que o trânsito não flui, porquanto os condutores pretenderem evitar buracos que se escavam a si próprios em dias de temporal, como o de hoje. No entanto, por vezes, fugir à cratera não é possível e lá se rebenta um pneu, se torce a coluna da direcção, etc… Isto para não falar, claro está, do incómodo que um conjunto de buracos com asfalto à volta causa a quem a pé circula: pois que, obviamente, um buraco na estrada potencia a projecção, por um carro, da água em si contida.

Asfaltem-se, pois, e convenientemente as ruas de Lisboa e decida-se de vez em que ruas são para manter os trilhos dos eléctricos! Reasfaltar as ruas de Lisboa até nem será complicado de fazer e a autarquia fá-lo-ia sem dispêndio de dinheiro, fosse o custo da licença de restauro da fachada de um prédio ou a construção de um novo de raiz o asfaltar da estrada onde o mesmo está instalado. Além do mais, não faz sentido que ruas como a Silva Carvalho, Campo de Ourique e Ferreira Borges conservem os trilhos… quando há anos que não lá circulam eléctricos!

Note-se: cidades como Londres, Paris, ou Berlim…não param em dias de chuva!

1 comentário:

  1. E a falta de civismo dos condutores não conta? Julgo que seja este o maior problema... A pressa aliada ao piso escorregadio, faz com que a viagem tenha um final infeliz: Acidentes. Os buracos com chuva ou Sem chuva continuam lá.

    ResponderEliminar