segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Rubrica: Lisboa aos olhos de Mário Assis Ferreira



Iniciamos esta semana, com mais uma ronda da nossa rubrica. Hoje quem está a Pensar Lisboa é Mário Assis Ferreira, Presidente do Estoril-Sol, a quem muito agradecemos a partilha e disponibilidade de abraçar o nosso desafio.

Pensar Lisboa - O que mais gosta na cidade de Lisboa?
Mário Assis Ferreira - Embora a tentação me inclinasse para referir o “Casino Lisboa”, sobrepôs‑se‑me ao egoísmo, o dever de cidadania e, nesse contexto, devo confessar que é o enquadramento arquitectónico do Terreiro do Paço.

Pensar Lisboa - O que menos gosta em Lisboa?
Mário Assis Ferreira - O que menos me agrada é a deficiente – ou nula – iluminação adequada de monumentos e edifícios com arquitectura de referência, exaltando a sua beleza, bem como o estado de degradação de edifícios abandonados, à espera de demolição, para além do parco tratamento cromático, pelo menos nas fachadas, dos bairros típicos de Lisboa.

Pensar Lisboa - O que mudava em Lisboa?
Mário Assis Ferreira - Corrigia o que referi no item anterior, prosseguia no projecto do “corredor verde para Monsanto” e tapava os milhares de buracos que se multiplicam nas ruas de Lisboa.

Pensar Lisboa - O que recomendaria a um turista em Lisboa?
Mário Assis Ferreira - A inevitável visita aos monumentos de referência, o percurso pedestre pelo interior dos bairros típicos, uma escapadela ao Estoril e a Sintra e, se sobrasse tempo, − não resisto à tentação profissional – uma noite de lazer no “Casino Lisboa”, aproveitando a oportunidade para ter uma visão da modernidade e planeamento urbanístico da Expo.

Pensar Lisboa - Com que cor identifica Lisboa?
Mário Assis Ferreira - Lisboa tem uma luminosidade distinta das demais capitais europeias, algo como uma auréola cor-de-rosa, tão difusa quanto etérea.

Pensar Lisboa - Numa palavra, Lisboa é...?
Mário Assis Ferreira - Lisboa é, simplesmente, diferente!

Sem comentários:

Enviar um comentário