quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Dar a voz aos lisboetas: António Costa e a EPUL



Fica o registo para os nossos estimados leitores, do cidadão MANU, segundo o seu comentário nesta reflexão do vosso escriba:

"No dia 28 de Novembro, o António Costa reuniu-se com os trabalhadores da EPUL para comunicar que a quer fechar, acompanhado pela vereadora das finanças (Maria João Mendes), do urbanismo (Manuel Salgado) e Eng Carlos Inácio

Faz sentido...

A empresa deixou de dar emprego aos boys... Um insulto!
Deixou de promover o negócios dos boys.... Uma afronta!
Deixou de dar dinheiro aos amigos... Um escândalo!
Deixou de ser o "saco azul" da CML... Uma provocação!
Deixou de financiar a CML naquilo em que ela não queria dar o nome ou assumir-se... Uma violência!
Valorizou o património em 18 milhões ... Inaceitável
Reduziu o endividamentoem mais de 10 M... Impossível!

é Justo que acabe....
é um insulto a todas as empresas públicos e municipais governadas e arruinadas por boys incompetentes e pagos a peso de ouro.

Diz o António Costa que é para evitar a perda do património da EPUL (que a empresa valorizou em 20 Milhões desde 2009).
Diz que é para garantir o pagamento as credores... (sem que a CML tenha que pagar os 72 milhões que deve)....
Diz que é para proteger os trabalhadores do desemprego... sensato... uma vez que a empresa nada deve aos seus funcionários, a CML não gastava um tostão com esses vencimentos e agora aceita suportar uma despesa superior a 5 Milhões por ano para os defender... 
Diz que é para proteger o património de 350 milhões e não para alimentar fundos imobiliários nem para entregar a privados (disse o Dr. António Costa que se isso acontecesse o "valiosíssimo e importantíssimo património da EPUL seria vendido em condições de mercado desfavoráveis implicando enormes perdas")......

Lembram-se do negócio dos CTT de Coimbra??? Mantenham-no fresco na memória!!

Uma vez mais parece que estamos perante a receita habitual de privatizar o que dá lucro tornando públicos os prejuízos (para o bem democrático de todos nós... evidentemente)
É o primeiro caso de uma empresa com resultados positivos, com indicadores económicos positivos e em crescendo apesar da crise, com boas práticas e sustentável que é fechada apenas por decisão política sem qualquer critério de racionalidade económica, financeira ou gestiva. Até parece que o princípio é... se funciona tem que fechar....
CHEGA OU QUEREM MAIS?"

2 comentários:

  1. Tirem me este tipo de Lisboa e com urgência . É só fantochada e show off

    ResponderEliminar
  2. Acho bem o que Anónio Costa fez. Mostra que está por dentro dos assuntos.

    ResponderEliminar