quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

A Política em Lisboa: jardim infantil contínuo



Consta que Fernando Seara não gostou que um correligionário de partido tenha dito que ele irá avançar por Lisboa. Consta que, ainda melhor, não gostou do voluntarismo desse correligionário de partido, Lesa Pátria! Este número de "virgem ofendida" já é um espectáculo gasto na política portuguesa, que se nega a ser "Política" , para passar a ser algo defendido e praticado por aves necrófilas. Mas que belo arranque da sua candidatura, Sr. Fernando Seara... Naturalmente, Marcelo Rebelo de Sousa teve que dizer de sua justiça, invocando um episódio bíblico: mais um movimento em direcção a 2016.

Consta que alguns sociais-democratas acham que as coisas devem ser "geridas". A boa ou má imagem de um político não é gerida, é criada através da sua acção. E, aqui o que interessa, são duas coisas: terá Fernando Seara, com os meios à sua disposição, feito um bom trabalho? Conhecerá ele Lisboa o suficiente para compreender os seus profundos problemas? Não se pretende um candidato do PSD, ou de outro qualquer partido, frisa-se, que seja um mero pára-quedas ao serviço do interesse partidário em questão. Se Fernando Seara vai a caminho ou não de uma derrota, não sou oráculo. O que me interessa é a pura e dura competência, mais a ideologia constante, nada mais.

Naturalmente, consta que António Costa mandou a sua "bicada" do costume. O seu comportamento inenarrável e errático continua em todo o seu fulgor e esplendor: agora a farpa é para Miguel Relvas. Previsível, demasiado previsível Sr. António Costa, deixe-me que lhe diga. Nem será o melhor dos tiros, não gaste já os seus parcos e quase inexistentes "tiros" políticos, visto que a sua gestão camarária se aproxima dos - 273º. 

Prevê-se uma cinema infantil muito animado. Este vosso escriba cá continuará, divertídissimo, a ver e a observar estes episódios, onde o nível de ridicularidade é díficil de medir.

P.S: sim, é "Sr.", e não "Dr.", antes do nome da pessoa em questão. Nas Nações que consideramos mais evoluídas da Europa, quer se goste ou não, exemplos na Old Albion e na Deutschländ, trata-se as pessoas por Mr. David Cameron e Frau Angela Merkel. Não há cá a saloice profunda e disparatada do "Dr.", "Eng." e mais não sei quantas tretas...

14 comentários:

  1. Excelente post! Avizinha-se uma luta interessante em Lisboa. Na minha modesta opinião Costa ganhará confortavelmente, cabe a esse senhor evitar a maioria absoluta da esquerda.

    P.S. Já agora a utilização de "-273ºK" parece-me demasiado geek! E ainda por cima está errada. A unidade kelvin não deve ser precedida do simbolo "º".

    Continuem assim

    ResponderEliminar
  2. Cara Carolina Soares,

    Agradeço, desde já, a estimada correcção que me fez quanto ao uso dos graus Kelvin. O erro deve-se à minha total distracção durante a sua escrita, as Nocturnas de Chopin têm este efeito. Como tal, e humildemente, agradeço e apresento-lhe as minhas desculpas pelo meu erro.

    Em segundo lugar, compreendo que diga que é geek, mas creio que pode ser uma boa metáfora quanto à nulidade da gestão de António Costa, claro, mera opinião pessoal que vale o que vale.

    Em terceiro lugar, eu recuso-me a fazer previsões, mas respeito e não critico quem as faça. Considero o voto algo demasiado sagrado, para além de secreto, para ter a presunção, dita de muito boa fé, de tentar adivinhar o resultado. Mas, sim, admito que António Costa parte à frente, tal como qualquer incumbente no cargo, cabendo ao putatito candidato do PSD a demonstração, cabal, de que tem um projecto melhor.

    Mais uma vez, agradeço o seu estimável comentário e muito obrigado pelo elogio. Volte sempre!

    ResponderEliminar
  3. Bom post sim senhor!

    Mas eu é mais assim http://forteapache.blogs.sapo.pt/824982.html

    ResponderEliminar
  4. íiiii cá burro...

    "-273ºK" ??!?!?!?!?!

    não existe nada abaixo de 0 K, temperatura essa que nunca foi atingida !!!

    estudasses !!!

    ResponderEliminar
  5. isto claro, tendo em conta os actuais conhecimentos e leis fisicas.

    ResponderEliminar
  6. Meu caro anónimo, se quer tanto preciosismo, aqui vai, em sua honra:

    Segundo a Resolução 3 da 13ª da Conferência Geral dos Pesos e Medições, o kelvin ficou estabelecido na proporção 1/273,16 da temperatura termodinâmica em termos, se quiser traduzir para português, "os pontos triplos da água".

    Fica assim satisfeito? Obrigado pela atenção e, de novo, pela correcção.

    Atente-se o facto de apenas ter discutido o acessório, e não o essencial. Mas isso, fica na responsabilidade da consciência de cada um

    ResponderEliminar
  7. bastava teres dito 0 K... quem misturou kelvins com celsius foste tu.

    ResponderEliminar
  8. Caro anónimo, de facto presumo que esse pequeno pormenor já foi resolvido. Admiti o meu erro, o qual lamento, devido a uma pura distracção da minha parte, cujas razões já aduzi. Portanto, penso que se pode considerar a questão de forma fechada.

    Quanto ao conteúdo, que foi o que aqui o trouxe, assim presumo, tem algo a declarar?

    ResponderEliminar
  9. O mais caricato no meio disto tudo é que o Senhor Pedro Miguel Rodrigues escreve como um doutor. Linguagem típica, barroca, de alguém que estuda Direito

    ResponderEliminar
  10. Caro Anónimo, tenho muito orgulho na forma como escrevo e desconheço que tenha alguma coisa a ver com a minha formação académica, qualquer que ela seja que apenas respeita à minha vida privada.

    Recomendo a que não se atente tanto a questões de forma, mas sim ao conteúdo do post. Fico-lhe eternamente agradecido.

    ResponderEliminar
  11. Caro Pedro Miguel S.M Rodrigues,
    Quer fique eternamente ou temporariamente agradecido, eu apenas sugiro o seguinte: Não escreva barroco, pois barroco torna fastidioso, enfadonho, o processo da leitura. Digo isto porque sou um amante da leitura, é apenas uma sugestão. Quanto ao conteúdo, valorizo bastante o que fazem neste blog, não está em causa.
    Continuem
    Abraços

    ResponderEliminar
  12. Barroco é muito bom.
    Eu é mais brejeiro.

    É este conjunto que torna este blog tão aprazível a muy estimado anónimo. Penso eu de que...

    ResponderEliminar
  13. Caro Anónimo,

    Presume-se que se refira a "barroco" como algo excessivamente exuberante ou que dá muito nas vistas. A melhor resposta que lhe posso dar é tão só esta: rejeito a oratória de Cícero, tento seguir, o melhor possível, a retórica de Aristóteles.

    Quanto ao conteúdo, fico muito agradado por saber que valoriza bastante o que nós aqui fazemos. Deixa-me bastante lisonjeado.

    Continue a passar e a comentar.
    Abraço.

    ResponderEliminar