sábado, 1 de dezembro de 2012

A Lamentar...

À semelhança de no ano passado termos lamentado a suspensão das iluminações de Natal na Cidade de Lisboa: Natal mais pobre
Lamentamos ainda mais este ano que a CML tenha ultrapassado em quase o dobro o "plafond" acordado entre todos os partidos para a iluminação da Cidade.


Foram atribuídos cerca de 250mil euros à União de Associações de Comércio e Serviços (UACS), para este propósito, no entanto, segundo o Público, foram atribuídos mais 229mil euros sem o conhecimento dos partidos da oposição e por ajuste directo para a execução da Árvore de Natal.

Agora pergunto, porque é que não seguimos o exemplo de anos transactos e se aproveitam parcerias comerciais para estes propósitos?
Recordo-me agora da iluminação natalícia por parte da TMN há uns anitos ou a Árvore de Natal da Zon, ou andamos à procura da Árvore de Natal Costa ou Presépio Sá Fernandes?








10 comentários:

  1. sim claro, usar o terreiro do paço como enorme propaganda comercial seria melhor... !!!!!!

    talvez, deixarmo-nos de mariquices... meter uma iluminação ou outra, e esquecer extravagancias como arvores de natal megalómanas.

    ResponderEliminar
  2. Claro que é melhor gastar 200mil € no terreiro do paço para 30 dias "Inglês" ver e depois sabe se lá quem fica com as infra-estruturas e para o ano gasta-se mais um tanto!

    ResponderEliminar
  3. tenh medo d dizer quem sou...4 de dezembro de 2012 às 01:13

    Nao gosto nada da nova arvore, mas se bem me lembro no passado criticaram a autarquia por "vender" os seus simbolos como por exemplo a decoracao do marques entregue a edp! Ag criticam por nao usarem 1empresa para patrocinar a arvore! Nao da para perceber!! Tou farto de jotas encapucados em cidadados preocupados com o herario publico!! Pfff...

    ResponderEliminar
  4. Caro cidadão que tem medo de dizer quem é,

    Todo e qualquer gasto público numa árvore de natal, numa altura como esta, é sinal de profunda ignomínia da parte de quem gere a coisa pública. Como tal, é de rejeitar todas as soluções que foram encontradas, que transmitam uma situação de irracionalidade de gastos públicos.

    Volta-se a referir que este blogue pauta-se pela sua isenção e total independência a Juventudes Partidárias.

    ResponderEliminar
  5. Caro tenh medo d dizer quem sou...
    Caso tenha lido o post e não apenas as "GORDAS", teria visto que foi efectuada uma ligação para o Post do Pensar Lisboa sobre este assunto no ano passado e lá nada menciona sobre qualquer critica à "venda" de símbolos em tempos natalícios! Apenas o lamento da suspensão das iluminação de Natal...
    Aproveito também para os menos atentos que cada Pensador tem direito à sua opinião, sendo ou não comum a outros Pensadores e sendo ou não filiado em qualquer partido da praça ou ainda independentemente da preferência clubistica!

    ResponderEliminar
  6. tenho medo de dizer quem sou...4 de dezembro de 2012 às 21:44

    Realmente o sr. pedro rodrigues e o sr. ricardo ferreira deviam combinar um jantr e acertar posicoes! Um diz uma coisa e outro diz o seu contrario. ca para mim o sr. pedro rodrigues respondeu por ter visto a palavra jota e nem se deu ao trab d ler o post!!

    ResponderEliminar
  7. Caro comentador que tem medo de dizer quem é,

    Como afirma o Ricardo, e muito bem, todos os Pensadores têm direito à sua opinião que, e cito-o, "sendo ou não comum a outros Pensadores (...)", apenas e só são corolários da liberdade de expressão e que confirmam que apenas e só somos dependentes da nossa consciência individual.

    Tenho por hábito ler todos os posts e ler as notícias antes de comentar, por uma questão de honestidade intelectual. Como tal, reafirmo o que disse no meu primeiro comentário.

    ResponderEliminar
  8. caro Ricardo,

    onde é que eu disse que queria ver gasto 200k€ numa árvore de natal???

    não quero ver gasto 200k€ nem quero ver uma mega árvore da zon-meo-edp-tomates_da_tia_jacinta no terreiro do paço.

    simplesmente, julgo que o natal não precisa disso... não sou contra decorações natalicias, desde que contidas... mas sou contra decorações megalómanas e "spots publicitários disfarçados".

    e também não sou contra mudanças de opinião... principalmente de um ano para o outro... mas mesmo na mudança, é necessário alguma coerência...

    ResponderEliminar