terça-feira, 17 de julho de 2012

Mais EMEL

Cuidado com a EMEL

Pois é, meus caros Lisboetas. A rapaziada da EMEL continua na conquista das nossas ruas, semeando parquímetros embrulhados em caixas de cartão, prontos a "disparar" a qualquer momento, que nem radares incontroláveis.

Tentámos há dias estacionar o carro na freguesia de Santa Isabel e deparámo-nos com os recém implementados parquímetros, e respectivos traços delineados e pintados de fresco na estrada para estacionamento delimitado dos automóveis, designadamente na Rua do Sol ao Rato, na Rua de D. Dinis e na Rua de Santa Isabel.

Estes presentes devidamente embrulhados estão, por certo, prontos a entrar em acção a qualquer momento. Pelo que devem os condutores ter cautela no caso de estarem habituados a estacionar nessa zona sem pagar o habitual título de estacionamento.


Será o estacionamento pago solução para Lisboa? Será que os valores que se pagam não são excessivos? O que acham?

Reparem ainda que no site da EMEL não há qualquer informação, nem uma única indicação, sobre as novas zonas, ruas, juntas de freguesia, o que seja, onde se preveja o início daquilo que é um autêntico imposto de estacionamento.

Por curiosidade podem entrar no site e verificar que existem muitas facilidades de leitura para "pagamento de autuações", "novos pedidos de residentes", tratamento de "assuntos vários", "revalidações", "autuações", "pagamento de autuações", etc. Mas nada existe sobre as novas zonas a tributar de modo a prevenir os residentes e os condutores que por lá passam e estacionam. A nosso ver pecam por isso. "Trate de assuntos EMEL sem sair de casa"? Em tom de brincadeira lê-se esta frase no site com um link de acesso. E se antes tivessem uma indicação do género "Trate de assuntos EMEL antes de ser autuado e antes de ter uma roda do seu carro amarela quando ao estacionar ainda era preta"? Talvez fosse mais oportuno prevenir do que remediar, não é Srs. da EMEL? O nosso protesto fica registado. O que pensam disto?


2 comentários:

  1. Eu não suporto estes tipos da EMEL.

    ResponderEliminar
  2. A EMEL não era a empresa do João Soares e família??

    Investiguem

    ResponderEliminar