quinta-feira, 31 de maio de 2012

Megapiquenique no Terreiro do Paço: crónica de um rídiculo indescritível



Depois de ler na edição impressa, eis que a encontro no site do jornal em questão. As críticas políticas de quem tem responsabilidades podem ser encontradas. Desde vereadores a partidos da oposição, o rídiculo ficou bem patente nas declarações prestadas.

Utilizar, quer a Avenida da Liberdade, quer o Terreiro do Paço (ainda bem mais escandaloso!), para uma acção publicitária de uma marca de hipermercados, cujo gosto e mérito, é de discutível índole, é execrável, uma tremenda falta de respeito para uma das zonas históricas e com mais significado, quer a nível de Lisboa, quer a nível da História de Portugal nas suas várias épocas, e uma atroz falta de gosto. Imagine-se o que seria uma acção destas na Alexanderplatz em Berlim, ou no Kremlin em Moscovo, ou na Times Square em New York, ou no Hyde Park em Londres, ou nos Champs Elysées em Paris, ou na Praça Cibelles em Madrid, ou nas Ramblas em Barcelona, e muitos mais exemplos poderia dar. Como se dizia nos finais do séc. XIX, nos "povos civilizados da Europa" o respeito pela História, e o tacto do bom gosto e do bom senso é notório; por cá, ficamos com as sobras saloias de incultos desbragados.

Curioso é a argumentação do inenarrável destruidor da iniciativa privada e tudo-quer-regular-e-controlar Sá Fernandes. Declara o douto demagogo à lá Cícero que esta palhaçada e pouca vergonha é para promover a promoção nacional, e, passando a citar: "mas também para dar a conhecer produtos e animais que muitas pessoas não conhecem". Depois da ignomínia, vem o desplante de tomar as pessoas como ignorantes. Senhor Sá Fernandes, recomendo-lhe vivamente que vá dar uma curva e desinfecte o ar em Lisboa. Arre, haja paciência!

P.S: querem promover a produção nacional? Que o Estado deixe a iniciativa privada funcionar, e que quem tinha a responsabilidade à altura, não tivesse destruído a agricultura e as pescas com fundos comunitários... Portugal é claramente a crónica de um falhanço antecipado.

1 comentário:

  1. Não sou um grande entusiasta do evento mas... Não é mais do que recordar as origens do Terreiro do Paço...

    ResponderEliminar