segunda-feira, 26 de março de 2012

Rubrica: Lisboa aos olhos de Nuno Bastos

Iniciamos a semana com mais uma visão interna. Hoje é o nosso companheiro de blogue Nuno Bastos que vem Pensar Lisboa.

Pensar Lisboa - O que mais gosta na cidade de Lisboa?
Da ligação da cidade ao estuário do Tejo (é um dos cenários mais encantadores que se pode encontrar no planeta!), da preservação que (apesar de todos os atropelos) a cidade conseguiu fazer dos seus bairros medievais e setecentistas, e dos seus habitantes que, tal como a generalidade do povo português, sabe receber tão bem quem os visita. 

Pensar Lisboa -O que menos gosta em Lisboa?
Da degradação inadmissível de centenas de prédios (muitos deles devolutos) e onde podia viver gente jovem para dar uma nova energia à cidade, da escassa oferta de transportes públicos nos bairros mais periféricos da cidade, do desmazelo a que são votadas algumas ruas e alguns jardins da nossa cidade (buracos no pavimentos, lixo espalhado pelo chão, grafitis, ...). 

Pensar Lisboa -O que mudava em Lisboa?
Reabilitar, reabilitar e reabilitar: há tanta coisa para fazer na recuperação dos prédios da nossa cidade!!! E tornaria Lisboa mais amiga das pessoas com deficiência, dos idosos e das crianças: com uma política social mais eficaz e uma política urbanística que privilegiasse os espaços verdes e as praças dos diversos bairros.

Pensar Lisboa -O que recomendaria a um turista em Lisboa?
Subir ao Castelo de São Jorge e descer a colina por Alfama, Sé e Igreja de Santo António. Visitar o Museu do Azulejo no Convento da Madre de Deus, a Praça do Comércio e a Baixa (bebendo uma ginginha no Largo de São Domingos), o Chiado (bebendo um café na Brasileira) e as suas igrejas, o Largo do Carmo, subir no Elevador de Santa Justa, apanhar o eléctrico para Belém, comer pastéis de Belém, visitar o Mosteiro dos Jerónimos, o Padrão dos Descobrimentos, subir à Torre de São Vicente de Belém, visitar a Fundação Champalimaud, almoçar na Doca de Santo Amaro, fazer um passeio de barco no Rio Tejo, jantar no Bairro Alto, passear pela Avenida da Liberdade, Parque Eduardo VII, visitar o Museu Gulbenkian, o Museu Nacional de Arte Antiga, o Museu do Chiado e o Museu da Colecção Berardo, passear pelo Parque das Nações (com visita obrigatória ao Oceanário), um passeio de bicicleta em Monsanto, ler bons livros na Biblioteca Nacional e uma noite numa casa de fados.

Pensar Lisboa -Com que cor identifica Lisboa?
Dourado. 

Pensar Lisboa -Numa palavra, Lisboa é...?
Encantadora. 

Sem comentários:

Enviar um comentário