quinta-feira, 15 de março de 2012

Rubrica: Lisboa aos olhos de José Azeredo Lopes

E eis que a regulação chega ao Pensar Lisboa. O nosso convidado de hoje já foi Presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social, José Azeredo Lopes vem Pensar Lisboa. Um agradecimento pela amabilidade e disponibilidade.

Pensar Lisboa - O que mais gosta na cidade de Lisboa?
José Azeredo Lopes - 1) Do facto de ainda ter bairros (o "meu", a Madragoa) onde se pode viver, ser cumprimentado e cumprimentar, fazer tudo a pé. 2) Dos pequenos restaurantes, em que se come divinamente e onde a dona ainda nos dá uma beijoca repenicada quando lá vamos, porque veio do Norte há mais anos do que se lembra e por isso se sente nossa irmã. 3) De muitos lisboetas. 4) Do raio daquela luz a bater nas paredes dos prédios pombalinos, que sempre pensei ser mania de alfacinha até ir descobrindo que era mesmo verdade.

Pensar Lisboa -O que menos gosta em Lisboa?
José Azeredo Lopes - 1) De, para muitos, ser impessoal; 2) De alguns (não muitos, vá) lisboetas ou que gostam de fingir sê-lo desde sempre, daqueles que gravitam na corte e fazem da bajulação mais indecorosa um modo de vida, à espera da prebenda; 3) De ser uma cidade que não sabe o que é a chuva e que não está preparada para ela. Tombam uns pingos, e é o caos. 4) De ser uma cidade de costas voltadas para o rio. Bem sei que aquela coisa não tem a beleza infinita do Douro, mas, que diabo?, passa pela cabeça de alguém esconder o rio das pessoas?

Pensar Lisboa -O que mudava em Lisboa?
José Azeredo Lopes - Os números 3 e 4 da resposta anterior.

Pensar Lisboa -O que recomendaria a um turista em Lisboa?
José Azeredo Lopes - Presumindo que este tinha pouco tempo:
1) O Museu Nacional de Arte Antiga, jóia magnífica para ir degustando devagarinho e, se possível, em doses repetidas; 2) O Restaurante A Travessa (e, nele, ou o folhado de perdiz ou os medalhões de veado marinado); 3) Uma tarde a vaguear em Santos; 4) Arriscar provar pipis, e nunca deixar de tentar o arroz doce (porque ninguém o faz melhor do que os lisboetas - e não sei porquê); 4) Andar pelas ruas do Chiado, ir à Bertrand, mas nunca ao fim-de-semana (nem pensar em tirar uma foto irritante junto ao Fernando Pessoa); 5) Perder-se nos antiquários na Rua de S. Bento; 6) Acabar em beleza, indo ao Museu Vieira da Silva.

Pensar Lisboa -Com que cor identifica Lisboa?
José Azeredo Lopes - Cor-de-rosa, em primeiro e destacado lugar. Depois, talvez o ocre.

Pensar Lisboa -Numa palavra, Lisboa é...?
José Azeredo Lopes - Mulher. Vaidosa, já agora.

Sem comentários:

Enviar um comentário