quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

E assim vai Lisboa: onde o desporto tem o seu lugarzinho à beira do... desperdício

Parece que vou continuar a ter um mamarracho nas traseiras de minha casa. Parece que vou continuar a ver, da janela da minha casa, um edifício degradado nas traseiras a ter, imagine-se(!), música aos altos berros no seu interior. Parece que vou continuar a ver, ou de noite, ou até mesmo de dia (!), casais adolescentes, ou até um grupo de adolescentes, alegremente a entrarem nos escombros de uma "guerra" que pulula pelas Avenidas Novas.

Consta que os contratos serão assinados, consta que a dificuldade veio do aumento do IVA, consta que um dia o problema se irá resolver. No entanto, parece que a zona até é boa, mas que tem assim uns problemas chatos.

É assim que vai Lisboa, alegremente e sem pruridos, a dar-me uma vista à lá Afeganistão, ou se for do vosso agrado, Egipto, ou Síria, ou Líbano, nas traseiras de minha casa.

Haja paciência.

Sem comentários:

Enviar um comentário