quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Ao estado a que chegámos

Naturalmente que encontrar esta notícia, nesta fonte jornalística, pode fazer pensar ao mais incauto dos leitores deste honrado e humilde blogue que estamos no dia das mentiras. Mas não, a notícia existe mesmo e parece que já circula num dos canais noticiosos do país.

Eu não sei se isto é para chorar, se é para rir, se é para deprimir, se é para escrever uma tragédia grega à moda lisboeta. Apenas sei o seguinte: Lisboa é uma cidade que não merece este tratamento, não merece este desprezo, não merece esta incompetência. Reduzir custos através da supressão do fogo de artíficio da passagem de ano, é das piores e mais incompetentes, senão mesmo ignorante, medidas que alguma vez assisti na política portuguesa.

Corta-se nas iluminações de Natal, tornando a cidade mais triste; não se aposta verdadeiramente na reabilitação permitindo que haja incêncios e derrocadas na quadra natalícia; corta-se no fogo de artíficio da passagem de ano, tornando essa noite um silêncio sepulcral. Não há coragem para atacar o verdadeiro problema da Câmara, não há coragem para atacar as verdadeiras fontes de despesa; resultado, atira-se areia para os olhos dos lisboetas.

Enfim, é este o estado a que chegámos de desgoverno, de incompetência. E não podia pedir melhor para reactivar a escrita no blogue, touché!

Sem comentários:

Enviar um comentário