terça-feira, 25 de outubro de 2011

Pipoca mais doce na Câmara de Lisboa

Deixo-vos uma conversa que foi publicada no Blogue Pipoca mais doce. Surreal!
- Bom dia, queríamos pedir uma licença para...
- Isso não é aqui.
- Desculpe?
- Isso é nas Finanças.
- Mas nós telefonámos e disseram-nos que era aqui. Até trazemos os papéis que nos pediram.
- (mirada rápida aos papéis) Ah! O que vocês querem é uma licença de utilização. Isso é outra coisa! Isso é aqui. (pois, se deixasse as pessoas acabarem as frases em vez de as tentar recambiar logo para outro lado, se calhar percebia logo à primeira)
- O espaço já tem uma licença da loja antiga que estava lá, nós queremos revalidar.
- Mas não estou a encontrar aqui nada no computador. Isso deve ser muito antigo. Não vos posso dar a licença.
- Pois, mas nós precisamos dela.
- Mas para quê?
- Desculpe?
- Para que é que querem a licença de utilização? Quem é que vos pediu isso?
- Como assim?
- Que entidade é que vos pediu isso?
- Nenhuma. Nós é que partimos do pressuposto que era necessário ter uma licença de utilização para um espaço comercial.
- Mas para quê?
- Imagine que um fiscal da Câmara vai à loja e nos pede licença...
- Ah, isso aí depende do fiscal que apanharem.

E pronto, esta foi a conversa surreal que tivemos ontem de manhã com uma mui solícita funcionária da Câmara de Lisboa. Perdemos mais de uma hora para não resolver coisa nenhuma. Aparentemente, o problema aqui é nós querermos fazer as coisas certinhas, para não terem por onde pegar. Mas a partir do momento em que a própria Câmara nos pergunta para que é que queremos a licença e nos diz que sermos ou não multadas é uma coisa que depende do fiscal que nos calhar em sorte, está tudo explicadinho. Mas se ousarmos abrir a loja sem uma licença, está bom de ver que a multa será choruda. Agora parece que temos de aguardar, que é a coisa que mais nos dizem. "Agora é preciso aguardar". Alguém da Câmara há-de ligar, um dia, com sorte ainda em 2011, a dizer se já temos ou não licença. Está certo.

3 comentários:

  1. É surreal, mas sinceramente já não me espanta nada este tipo de situações! têm sido uma constante em Portugal ao longo dos anos...

    ResponderEliminar
  2. Claro que depois as coisas não podem funcionar bem, não deixam sequer que isso aconteça! E pior de tudo, acontece em TODO o lado... claro que o país não anda para a frente... óbvio!

    ResponderEliminar