quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Haja Esperança!


O Jardim Botânico de Lisboa surgiu, no séc. XIX, da necessidade de criar um complemento prático no ensino e investigação da botânica, da então Escola Politécnica de Lisboa. A inauguração do Jardim deu-se em 1878 e conta com diversas espécies tropicais, oriundas da Nova Zelândia, Austrália, China, Japão, América do Sul e África. Em 2010 foi classificado como Monumento Nacional.

Infelizmente, trata-se de mais um tesouro de Lisboa votado ao abandono.

Daí que a notícia da ocorrência de um (pequeno) incêndio na quarta-feira (5 de Outubro) não surpreende os mais atentos ao histórico jardim.

Felizmente, nessa mesma semana tivemos uma notícia que devolve alguma esperança: o Fundo Mundial dos Monumentos decidiu incluir o Jardim Zoológico na lista de monumentos a preservar.

Desde 1996 que o observatório do Fundo Mundial dos Monumentos elege anualmente pelo menos 2 locais a proteger. Desta vez, o Jardim Botânico foi uma das escolhas do organismo, que pretende atrair os olhares internacionais para os perigos que ameaçam o património e que participa também na sua recuperação e preservação. A eleição surgiu na sequência da candidatura da Liga dos Amigos do Jardim Botânico, membro da plataforma de defesa do Jardim constituída por 13 associações. Para justificar a candidatura, a Liga argumentou que a integridade do Jardim Botânico está ameaçada pelo Plano de Pormenor do Parque Mayer, que propõe mais de 25 mil m2 de nova construção dentro da zona de proteção do monumento. Além disso, o Jardim tem ainda de enfrentar um financiamento insuficiente, bem como uma crónica falta de funcionários e de manutenção.

Sem comentários:

Enviar um comentário