quarta-feira, 19 de outubro de 2011

ETAR de Alcântara: Há responsáveis?

Foi em Abril de 2011 que José Sócrates e António Costa inauguraram a ETAR de Alcântara, depois de 5 anos de obras. O equipamento custou 70 milhões de € e teve uma derrapagem de 4 milhões de €.

Na ocasião, como era seu apanágio, Sócrates sublinhou que "era um sinal de grande modernidade do nosso país" e que a partir de então "qualquer político" que se quisesse "candidatar à CML" já podia "tomar banho no Tejo sem aquelas vacinas todas que o prof. Marcelo tomou".

Orgulhoso, Sócrates disse também ser "porventura dos políticos que está em melhores condições para avaliar o significado da entrada em funcionamento desta nova ETAR", dado que tinha sido Ministro do Ambiente no Governo de Guterres.

Os responsáveis do PS disseram que "até há pouco tempo, quem visitasse a Baixa lisboeta poderia ter o azar de se deparar com um cheiro desagradável. Com a entrada em funcionamento da ETAR de Alcântara, a história vai passar a ser outra"

Pelo visto, e segundo notícia que pude ouvir hoje no noticiário da TSF, as coisas parecem não estar a funcionar bem. A população queixa-se que depois de tantos anos de obras e dinheiro gasto, o cheiro continua insuportável.

De quem são as responsabilidades? Do Governo? Do Ministério do Ambiente? Da SimTejo?

1 comentário:

  1. Qualquer pessoa que passe lá sabe que está a passar por lá sem duvida.. tenho pena de quem fica parado no transito...
    Obrigado zézito!

    ResponderEliminar