quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Preso em Portugal um dos homens mais procurados dos EUA...




Na TVI24:
A Polícia Judiciária capturou, nos arredores de Lisboa, um cidadão norte-americano, condenado por homicídio e que estava fugido às autoridades do seu país há 41 anos, tendo ficado em prisão preventiva em Portugal.

Fonte policial confirmou à agência Lusa a detenção de George Wright na segunda-feira, pela Unidade de Investigação Criminal da PJ.

A mesma fonte adiantou que o cidadão norte-americano se encontrava em Portugal, sob identidade falsa, há cerca de 20 anos.

A detenção do homicida resultou de uma investigação da PJ em colaboração com as autoridades norte-americanas e a Interpol.

O norte-americano foi ouvido por um juiz do Tribunal da Relação de Lisboa, que lhe decretou a prisão preventiva, enquanto decorrem os trâmites de uma possível extradição.

A mesma fonte policial garantiu à agência Lusa que o cidadão não cometeu qualquer crime grave em Portugal, a não ser residir sob identidade falsa.

Entretanto, a Lusa contactou a direção nacional da PJ para obter mais pormenores, mas esta não quis prestar esclarecimentos sobre o caso.

A detenção de George Wright foi avançada esta tarde pela agência Associated Press (AP), que indicou que este tinha sido condenado a uma pena de entre 15 e 30 anos por um homicídio cometido em 1962.

Segundo a mesma agência, Wright fugiu da cadeia de Bayside, em Leesburg (Nova Jérsia) em 1970 e, dois anos mais tarde, desviou um avião de uma companhia aérea norte-americana.

Segundo a AP, Wright foi condenado pelo homicídio, em 1962, de Walter Patterson, o proprietário de uma bomba de gasolina em Wall, Nova Jersia, um veterano da II Guerra Mundial e pai de dois filhos.

O condenado terá também cometido vários assaltos à mão armada no mesmo ano e com a ajuda de três cúmplices, que também foram detidos na altura.

Segundo o FBI, Wright era militante do grupo clandestino Exército de Libertação Negra que, em 1972, sequestrou um avião da Delta Air Lines que voava de Detroit para Miami.

Depois de ter libertado os passageiros, a troco de um milhão de dólares, (o mais alto resgate pago até então), os piratas do ar obrigaram o comandante a voar até Boston e depois para a Argélia, onde pediram asilo.

O governo argelino devolveu o avião e o resgate aos EUA, a pedido do governo norte-americano, e deteve os sequestradores temporariamente.

Os cúmplices de Wright foram presos, julgados e condenados em Paris em 1976.

Wright foi o único que se manteve em fuga, até ser capturado segunda-feira pelas autoridades portuguesas.
Tão longe e ao mesmo tempo tão perto... vivemos lado a lado com eles e nem nos apercebemos...

Sem comentários:

Enviar um comentário