quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Francesinhas em Lisboa – Parte I

Muito me honrou o convite para fazer parte do Pensar Lisboa. Tentarei corresponder. Para abrir as hostilidades, e porque o Diogo me pediu "um olhar nortenho sobre a capital", replico uma experiência que tive no mês passado.

O ditado diz “Em Roma sê Romano” e não “Em Roma sê Transmontano“. Assim, por princípio não como Pudim Abade Priscos no Algarve ou Don Rodrigo no Minho. Não como Jesuítas em Lisboa ou Pasteis de Belém em Santo Tirso.

Desde que há 4 anos mudei para a Capital, me recuso comer Francesinhas. Para quem estava habituado a comer Francesinhas no Bufete Fase (no Porto), no Mata (na Póvoa de Varzim) ou no Olímpico (em Santo Tirso), é complicado…

Mas a saudade de uma boa Francesinha fala mais alto e por isso comecei a pesquisar na internet. Descobri alguns locais onde supostamente se comem boas Francesinhas e resolvi experimentar. Hoje fui à Pastelaria Ritz.

Quando o funcionário pousou a Francesinha à minha frente assustei-me. O molho (que normalmente é o mais importante) era trágico. Tinha uma cor castanha e um sabor a estrugido. Era tão mau que nem me atrevi a molhar as batatas fritas.

O bife estava duro e tinha mais nervos que um noivo em dia de casamento. Salsicha, linguiça e pão aprovados. A apresentação trazia uma azeitona na ponta de um palito. Oh senhores… isto não é uma sandwich club, é uma Francesinha!

Enfim, este 1º episódio do périplo na busca de uma boa Francesinha em Lisboa, correu mal. A Francesinha da Pastelaria Ritz está reprovadíssima. Em breve, cenas dos próximos episódios.

8 comentários:

  1. Genial!!!

    Fico à espera de novos capítulos. Que saudades de uma francesinha.

    E anotei os locais que indicaste lá pelo norte ;)

    ResponderEliminar
  2. Quando andares pelo Norte, se coincidir eu estar por lá também, sou eu que te convido para comer uma francesinha. Seja onde for, num destes 3 locias. ;)

    ResponderEliminar
  3. Epa, está fechado. Um dia depois de um Porto - Sporting fui parar a Esposende, ao Fernando, creio que se chamava assim. Indicações de portistas ferrenhos para enganar lagartos.

    ResponderEliminar
  4. É verdade que não tenho raízes nortenhas, contudo em tempos tive oportunidade de trabalhar durante algumas semanas no porto, o que me levou a conhecer melhor esta iguaria.
    É verdade que na capital não existe um Bufete Fase, uma Cervejaria Galiza ou mesmo um Capas Negras, contudo posso-te assegurar que no Dom Tacho, perto do Campo Pequeno, poderás sem dúvida comer uma das melhores francesinhas de Lisboa. Local a que recomendo uma visita...

    ResponderEliminar
  5. Obrigado pela dica João. Don Tacho será o cenário para o episódio nº 2 :)

    ResponderEliminar
  6. Ainda ontem comi uma francesinha em Lisboa numa tasca junto das Escadinhas do Duque..mas nada comparavel a uma que comi no Porto num restaurante chamado Cunhas (acho que não me engano no nome do restaurante)

    Mas avisa quando souberes de algum sitio bom!! eheh

    ResponderEliminar